sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

25 de Dezembro - um dia muito apetecivel!

O dia 25 de Dezembro desde há séculos que se assumiu como um dia de festejos. Muitos foram os pretextos e razões que tornaram deste um dos dias mais importantes dos calendários ocidentais ao longo da historia, mesmo que os motivos dos festejos  nem sempre fossem os mesmos - variando conforme as necessidades e vontades políticas, religiosas, ou até mesmo comerciais.
(desconhecido) - Dali
Inicialmente, o dia 25 de Dezembro era dedicado a uma festa pagã (cultos campestres), entre muitas outras que aconteciam ao longo de todo o ano pela Europa, Mediterrâneo ou Médio Oriente. No entanto, em 274 d.C., foi institucionalizado pelos Romanos que o dia 25 de Dezembro seria dedicado ao culto do Sol (Invictus Dominus Imperii Romani) e as celebrações financiadas por conquistas militares. Esse novo culto serviu para concretizar a devoção institucional - implementada com fins vários - que obrigava todos os cidadãos do Império a prestar culto ao seu Imperador. Mas, acima de tudo,  essa nova prática devia-se ao culto de várias divindades politeístas relacionadas com o Sol (praticamente todas as civilização tinham uma divindade associada ao Sol), tais como: Apolo para os Gregos, Serápio para os Egípcios, Baal para os Semitas e Mitra para os Persas. Esta foi uma forma engenhosa de agregar festividades e cultos diferentes - mas no fundo semelhantes - condensando-os num só dia e de os associar à figura Imperador Romano, que seria a entidade representante dessas divindades na Terra. Isto teria uma função mais política que Religiosa, pois nesta época o Império começava a entrar em declínio e fragmentação, o que despoletou a necessidade de fomentar a união interna - cultural, política e religiosa -, e fortalecer a imagem de um Imperador incontestável.
Posteriormente, quando o cristianismo se assumiu como religião oficial do Império, este dia - que detinha uma grande popularidade na altura - foi convertido no dia do nascimento do novo Deus (quer se considere como divindade ou mortal). A transição que ocorreu, muito provavelmente até foi suave, isto se considerarmos que o anterior culto do sol - possível origem da aureola divina - já assumia tendências proto-monoteístas.
Posteriormente, na época pós-industrial, com o capitalismo bem instalado e o consumismo a assumir-se como um movimento sociocultural próprio, criaram-se personagens como o Pai Natal e instituiu-se a troca de presentes como um hábito social. Hoje em dia são, em parte, os padrões de consumo que ditam o modo como vivemos o Natal. No entanto, há quem se ponha à margem destas influências mais materialistas e consiga fazer desta data um dia dedicado à família e amigos, tal como a acções de voluntariado e solidariedade.

Pode-se então dizer que, ao longo da História Ocidental, este dia foi, tendencialmente, utilizado pelo Poder instituído, segundo seus valores, para os seus próprios desígnios e vontades. Contudo, a sociedade mudou, os poderes instituídos também, mas o dia 25 de Dezembro manteve-se sempre como um dos dias mais importantes do nosso calendário, - sobrevivendo ao próprio calendário ocidental que já foi alterado (Calendário Juliano e Gregoriano). 
Resta saber a que será dedicado no futuro o dia 25 de Dezembro
Espero que cada vez mais ao social e menos à economia.

Fontes:

  • Mitologia, da editora Lisma; História da Humanidade, do Circulo de Leitores; 
  • entre outras obras de História Universal diversas.
    Documentários vídeo: “Império Romano”, produção do Canal de História do ano de 2009

Artigos relacionados

Related Posts with Thumbnails


A Busca pela sabedoria - criado em Agosto de 2009 por Micael Sousa