quinta-feira, 26 de novembro de 2020

Democracia aumentada para combater a democracia diminuída

 A democracia direta foi sempre aquele ideal inalcançável, pelo menos numa grande escala. Filósofos como Stuart Mill advogavam que seria a mais perfeita forma de liberdade democrática, cada cidadão poder decidir por si. No entanto, tal visão tem sido impossível de concretizar. Esses modelos foram ensaiados em alguns locais contidos e em curtos períodos. Temos o caso da efémera comuna de Paris, que em 1871, que durante alguns meses conseguiu manter uma forma revolucionária de sufrágio direto.  Algumas comunidades anárquicas adotaram também estes modelos, mas foram casos igualmente efémeros. Ao longo do século XX foram surgindo casos destes, aqui e ali, mas sempre sem ameaçarem os sistemas políticos vigentes, quer fossem monarquias, democracias ou ditaduras. 

Um entertenimento de eleições - William Hogarth

Um entertenimento de eleições - William Hogarth

No entanto isto pode vir a mudar no futuro. César Hidago propôs um conceito revolucionário: a democracia aumentada (Augmented Democracy). Tal como somos auxiliados por algoritmos, software, máquinas e inteligência artificial todos os dias, Hidalgo propõe que estas ferramentas nos possam ajudar também a mudar a democracia, tornando-a mais direta, reduzindo a necessidade de representação por outrem. O que se propõe é uma reflexão, mas, no fundo, uma substituição mais personalizável. No fundo seremos na mesma representados, mas por avatares que nos vão replicar virtualmente, para que possamos participar ativamente em todas as dimensões da vida política. Isto tem tanto de fascinante como de assustador. 

Apesar de haver perigos imensos, considerar a tecnologia como forma de aprofundar o modo como os cidadãos exercem os seus diretos políticos e cívicos pode ser a solução para a atual crise democrática. A democracia, tal como a conhecemos, também beneficiou do desenvolvimento tecnológicos. Mas neste caso, a dúvida é maior que a dos indecisos ou dos abstencionistas. Seguramente teremos de tomar uma posição sobre isto. 


Referências:

Altman, D. (2010). Direct democracy worldwide. Cambridge University Press.

Perez, O. (2020). Collaborative е-Rulemaking, Democratic Bots, and the Future of Digital Democracy. Digital Government: Research and Practice1(1), 1-13.

Simões, M. C. (2013). John Stuart Mill: utilitarismo e liberalismo. Veritas58(1).


Artigos relacionados

Related Posts with Thumbnails

TOP WOOK - Arte

TOP WOOK - Dicionários

TOP WOOK - Economia e Finanças

TOP WOOK - Engenharia

TOP WOOK - Ensino e Educação

TOP WOOK - Gestão

TOP WOOK - LITERATURA





A Busca pela sabedoria - criado em Agosto de 2009 por Micael Sousa



Introduza o seu e-mail para receber a newsletter do blogue: