segunda-feira, 26 de julho de 2010

Lenine foi Marxista (até ao fim)?

Engels (companheiro ideológico de Marx e co-autor do Manifesto do Partido Comunista) dizia, anos depois da morte do seu camarada que Marx não era Marxista. Não sei a verdadeira acepção desta afirmação, nem sequer se é mesmo verdadeira, mas arrisco-me a avançar com uma explicação – pura especulação é claro -: muito provavelmente Engels reprovava o caminho pelo qual estavam a enveredar os “marxistas” de então.

Bem, mas pretendia falar de Lenine e não de Marx, pois Lenine, para além de teórico e pensador político, foi também líder e Chefe de Estado, tendo tido a oportunidade pouco comum de passar dos ideais aos actos. Segundo alguns estudos: “Lenine foi-se afastando do Marxismo ideológico e utópico ao longo dos anos que foi governando o Estado Soviético”. Estas afirmações constam do primeiro episódio da série de documentários: “Comunismo – História de uma Ilusão”, da autoria de Peter Glotz e Christien Weisenborn. O que se escreve de seguida baseia-se nesse documentário
Vencer os brancos com a força vermelha - El Lissitzky

Após a Revolução Russa de 8 de Março de 1917 (segundo o calendário gregoriano) que ditou a queda do regime monárquico Czarista (monarquia russa – Czar deriva de César, numa relação directa com os imperadores romanos que adoptavam o nome em honra a Júlio César), muitos foragidos do regime e exilados voltam à Rússia - Lenine era um deles. De imediato, assim que volta à Rússia, Lenine envolve-se nas lutas políticas pelo domínio do país, aproveitando o momento de instabilidade política e vazio de poder. Através das suas capacidades intelectuais, das suas experiências e activismo político durante o combate ao Czarismo, da fama que granjeou durante o período de exílio na Europa Ocidental, do seu carisma e da sua impecável oratória, Lenine assume um papel de destaque no Partido Operário Social-Democrata Russo (POSDR). 
Lenine a proclamar o poder Soviético - Valentin Serov

Numa das votações internas do partido Lenine apresenta propostas que tendiam para a opção revolucionária, para o socialismo radical de inspiração marxista, mais militante e fechado que defendia a ditadura do proletariado em detrimento da democracia parlamentarista. Nesse dia as suas propostas e ideias foram votadas e aceites por uma maioria mínima do POSDR a quem chamou de Bolcheviques (significa literalmente maioritários em Russo), tendo apelidado os restantes militantes que dele discordavam de Mencheviques (minoritários).

O trabalho é essencial, 
a espingarda está perto - Vladimir Lebedev
Aproveitando a instabilidade política e o facto de se ter assumido como o líder dos Bolcheviques, que ganhavam cada vez mais poder neste período conturbado e do sucesso da revolução vbolchevique de Outubro de 1917, Lenine intervém directamente nos assuntos de Estado e políticos da Rússia. Participa nos acordos com os Alemães que, apesar de extremamente lesivos, permitiram à Rússia sair da 1ª Guerra Mundial. Mas é só depois de uma Guerra Civil, entre os Bolcheviques/Sovietes (apoiantes de Lenine) e um conjunto de opositores que defendiam o antigo regime ou a via democrática, que Lenine consegue consolidar o seu poder e evitar o retorno ao antigo regime ou uma nova opção com base no parlamentarismo democrático. Ao derrotar os seus opositores Lenine, Bolcheviques e Sovietes (Concelhos de Operários, Soldados, Agricultores e outros organizados segundo o modelo comunista) garantem a implementação do primeiro Estado Comunista, que tendencialmente caminhou para o Totalitarismo.

De modo a fortalecer o seu poder Lenine defendeu o policiamento e o Estado repressivo para combater aquilo que definia como “Irracionalidade das Massas”, demonstrando a aversão aos ideais democráticos. Actividade esta que Estaline continuaria e aperfeiçoaria a uma escala industrial nas décadas vindouras, tendo condenado milhões de Russos à prisão, trabalhos forçados e à morte.



Defender a URSS - Valentina Kulagina
Passado todo esse período conturbado e muitas outras crises internas, em 1921 Lenine viu-se forçado a alterar e a reformular o sistema político, económico e social da Rússia Soviética Comunista. Depois de anos de fome, de decadência económica, de clara diminuição das condições de vida das populações e do enfraquecimento da nação, Lenine colocou de lado muitos dos princípios socialistas e marxistas. Implementou e fortaleceu um sistema que promoveu e defendeu a propriedade privada e o mercado livre - Trotsky e Estaline mostram-se descontentes por esta nova reorientação. Chegam a ser convidados Burgueses Europeus para dar novo impulso à economia da Rússia de então. Volta a circular dinheiro. Com isto, num curto espaço de tempo, as condições de vida no País melhoram visivelmente. Mas em 1922 a doença toma Lenine, obrigando-o a retirar-se do poder e da política. Morre em 1924. A Este período ficou conhecido de "Nova Política Económica".

Posto isto então: Será que Lenine nos seus últimos anos de vida, depois de ter sentido as dificuldades da governação, não terá questionado os seus próprios ideais? Será que Lenine se manteve no fim verdadeiramente Marxista?

Artigos relacionados

Related Posts with Thumbnails


A Busca pela sabedoria - criado em Agosto de 2009 por Micael Sousa