quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Quando se fez o primeiro gesto de V de vitória?

Na Idade Média os Ingleses eram conhecidos pela sua mestria no domínio do arco nos campos de batalha de então. Desenvolveram um tipo de arco de maior envergadura (1,80m), grande poder (900N) e distância de disparo (220m), podendo perfurar armaduras a distâncias consideráveis. Esse tipo de arco era conhecido como o longbow, ou em Português, arco longo, também designado como arco Galês. No entanto, para disparar e utilizar todo o potencial desse arco era necessário um arqueiro especializado. Só os mais fortes e robustos poderiam disparar essa arma mortífera, e mesmo esses tinham de treinar toda uma vida para aperfeiçoar a técnica de disparo e desenvolver particularmente os músculos necessários para tal esforço tão peculiar.

Batalha de poitiers
A famosa Guerra dos 100 anos opôs a Inglaterra à França por disputas territoriais e direitos de vassalagem, questões de conflito típicas da Idade Média. Nalgumas das principais batalhas desta guerra (Crecy 1346,  Poitiers 1356 e Agincourt 1415) os Ingleses obtiveram vantagens e até vitorias decisivas por utilizarem os seus arqueiros dotados com seus arcos “especiais” contra a cavalaria pesada francesa, atingindo-a à distância, perfurando as suas armaduras e abatendo-a antes que pudesse executar as suas temíveis cargas (os tanques da idade média). Os arqueiros ingleses, por dispensarem armaduras, tinham grande mobilidade no campo de batalha e podiam atingir a cavalaria pesada (a arma mais poderosa dos exércitos medievais) de longe, tornando-a impotente. Tudo isso, aliado às defesas que os arqueiros construíram no campo de batalha (fossos, paliçadas, morros, etc.), protegia-os de ataques frontais, especialmente das cargas de cavalaria. Na Batalha de Aljubarrota, (1385) as tropas de D. Nuno Alvares Pereira usaram semelhantes estratagemas, abatendo os cavaleiros Espanhóis (e aliados Franceses) que iam sendo alvejados enquanto eram também vítimas dos fossos e armadilhas ocultas no campo de batalha, aquando das cargas frontais que efectuaram contra o diminuto exército nacional. Nessa, como em outras batalhas, os portugueses tiveram o auxilio dos arqueiros ingleses.
Batalha de Aljubarrota - crónica de Jean Wavrin
Toda esta longa introdução para revelar a origem de um gesto que faz hoje parte do nosso quotidiano. Falo de um gesto de mão que consiste em erguer os dois dedos de uma mão fechada, formando um simbólico V - sinal de vitória. Esse gesto, segundo algumas fontes, começou a ser usado durante a Guerra dos 100 anos pelos Ingleses. Inicialmente era um gesto de desdém, mas que foi sendo associado ao símbolo da vitória, uma vez que o formato do V era mais que evidente. Os Ingleses faziam questão de fazer este gesto, mostrando aos Franceses que tinham os dois dedos intactos e que com eles poderiam disparar os seus mortíferos arcos. Isto porque tornou-se habitual entre os Franceses cortar os dois dedos aos arqueiros ingleses capturados, impedindo-os de voltar a disparar qualquer arco.

Quando actualmente fazemos este gesto, devemos lembrar-nos que, tal como os arqueiros ingleses, ainda detemos os nossos valiosos dedos e que com eles podemos fazer grandes actos, esquecendo o mortandade do passado e pensando nas benesses que com eles podemos fazer para o bem comum

Bibliografia:

  • Uma história da Guerra - John Keegan - Tinta da China
  • História da Guerra - autores vários - Esfera dos Livros
  • Aljubarrota crónica dos anos de brasa - 1383/1389 - Luís Miguel Duarte - Quidnovi

Artigos relacionados

Related Posts with Thumbnails


A Busca pela sabedoria - criado em Agosto de 2009 por Micael Sousa